sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Entrando Numa Fria Maior Ainda no Trabalho


Faz tempo que venho dizendo que preciso compartilhar a minha estranha experiência como funcionária pública. Sei que muitas amigas blogueiras também estudam para concursos. Posso dizer que é fundamental saber escolher, assim como, dentro do possível, não permitir que te coloquem para trabalhar lá, onde ninguém quer ficar.

Como diria uma antiga colega, o nosso cotidiano chega a ser surreal.

Por exemplo, para o pessoal da segurança, a chegada de uma nova funcionária pode ser sinônimo de "minha empregada".

Segurança 1: Incomodando, desde o primeiro dia, querendo me vender o celular e um chuveiro.

Segurança 2: Como se fosse o chefe, pedindo "Se alguém ligar, diz que eu ainda não cheguei". - um favor de vez em quando, a gente entende, mas diariamente, já vira abuso.

Segurança 1: Acredita que a funcionária tem a obrigação de fazer tudo para ele no computador: "Salva essa foto para mim"; "Abre uma conta no Face para mim"; "Passa essas músicas para o meu celular"; "Lê esse e-mail para ver se tem erro de português porque às vezes dá um branco"; "Procura para mim, um site que tenha cartão de dia do amigo"; "Vem aqui anexar essa foto num e-mail"... A funcionária bota um fim nisso e é tachada de grossa.

Segurança 1 e 2: Recebem visitas - e no ponto de vista deles, a funcionária é obrigada a parar de trabalhar para dar atenção à visita. A visita, por sua vez, exige ajuda para abrir uma conta de e-mail e para enviar e-mails cheios de bobagens.

Num outro dia, a visita leva o filhinho, uma criança linda e fofa. Claro que a funcionária trata bem, afinal a criança não tem culpa.

Passam mais uns dias. A visita aparece de manhã, dizendo que está ocupada e não tem com quem deixar a criança. Resultado: Babá por um dia (na verdade, mais de um dia). A criança mexe em tudo, tira as coisas do lugar, atrapalha, grita, sobe na cadeira... Quando, alguns meses depois, a funcionária comenta o acontecido, é tachada de rancorosa. 

Segurança 1: Funcionários têm a obrigação de conversar, de ouvir os monólogos dele, de parar tudo o que estão fazendo para se informar sobre quanto a esposa dele gastou no supermercado, sobre a vida de cada sobrinho, assim como devem auxiliá-lo nas palavras cruzadas.

O capítulo do cigarro, já contei AQUI

Segurança 2: Recebe inúmeras ligações, inclusive a cobrar. A pessoa liga, pede para anotar um recado, pois é a prima dele e precisa de um retorno urgente. A palhaça funcionária localiza o Segurança 2, transmite o recado e ouve "Não tenho prima com esse nome".

Moça da limpeza: Julga e analisa os profissionais. Segundo ela, a socióloga não sabe fazer o trabalho, a nova diretora é incompetente, além disso, acredita que a sala das funcionárias é dela. É necessário "lutar" muito para conseguir usar a mesa e para poder ter um lugar onde deixar a bolsa.

Moça da limpeza e coordenadora (o cargo é somente por uma questão de antiguidade) : Leem o jornal, conversam sobre a novela, sobre o programa do Ratinho, sobre a personalidade dos filhos, mas... segundo elas, ninguém trabalha, ninguém é bom o suficiente, ninguém quer fazer o trabalho.

Cursos, experiências pessoais e profissionais - Nada interessa, nada serve. E cuidado para não passar por cima da autoridade da moça da limpeza, que está lá há mais tempo do que você.

Opiniões diferentes - proibido! E pode gerar até gritos.

Como eu disse, não há maldade nem inveja, muito menos "tapete" para ser puxado, mas a experiência é estranha, nada agradável, pouco produtiva e prejudica bastante a saúde.

8 comentários:

Marcia disse...

Caraca, eu já tiha mandado todo mundo para pqp! Que porcaria! Nem sei o que dizer ! Foge dai!
Bjs

Joanna disse...

ei!
nossa! nao sabia q era assim!!! tem q ter mta paciencia, hein???
bjs

pequenagi disse...

Nisso todo tenho só uma pergunta: no que você trabalha mesmo?!
Affff...

Lulu disse...

Não existe emprego perfeito. Sempre tem algo indigesto.
Big Beijos

Ana disse...


No meu setor, o pessoal nao vai (tem deles que nao vejo por mais de meses), tem a mesma função e recebem mais que o dobro porque tem as costas quentes. Tenho pós graduação na area que atuo, faço as horas todas, mesmo assim nao sou valorizada e mais as outras coisas que comento no post. O pior de tudo é que sai da minha cidade (capital) para vir p esse interior de M e passar o que passo...

Deus abençoe que bem, mais bem longe desses nossos empregos. Tbm vou servidora púlica, mas olha, tem dias que penso no suicidio de tamanha infelicidade.

Fulana disse...

chocada! e olha que minha repartição também é uó!

Ana Maria disse...

Triste. Vejo cada coisa por aí, mas essa superou todas. Torcendo para conseguires relotação.



Cambaxirra disse...

Estou chocadíssima, eu já teria ficado meio louca aí no meio. Juro! É muita falta de respeito isso. Depois, se você tratar só com "bom dia" e "boa tarde" ainda é tachada de antipática. Tomara que você consiga trocar de lugar!